http://scavonecasa.com.br/quem-somos

MEU CARRINHO

QUEM SOMOS


PELAS MÃOS DO IMIGRANTE LUIGI SCAVONE - natural de Tito, província de Potenza ao sul da Itália - a então Oddone, Scavone & Comp. começa suas atividades em Itatiba, interior de São Paulo em 1893 atuando em frentes distintas da indústria, como a produção de fósforos, beneficiamento de arroz, cortume e torrefação de café, além de comercializar produtos importados da Itália e Inglaterra. Em 1915 passa a ser S/A Fabril Scavone e já em 1938, inicia a produção de fios de lã para tricô, marco inicial de investimento no setor têxtil. Dez anos depois chegam os primeiros teares, que inauguram uma nova fase na empresa: a produção de mantas e cobertores.

Desde então, a Scavone só vem crescendo no setor. Atualmente, contamos com uma estrutura única no país com os melhores e mais modernos equipamentos, o que garante o acabamento impecável de nossos produtos. Viajamos o mundo em busca de tendências, tecidos, cores e estampas. Desenvolvemos nossa linha - cobertores, mantas, colchas, lençóis, edredons, toalhas, entre outros - dentro de padrões internacionais de qualidade e só com matérias-primas de altíssima qualidade.

Hoje a Scavone atende de forma completa o setor de cama, mesa e banho mantendo a visão de sempre inovar, mas sem abrir mão de sua tradição e história, de mais de um século de existência. Honrando o passado e olhando para o futuro. Olhando para os próximos 120 anos.


MANIFESTO / NO QUE ACREDITAMOS


ONDE NASCE A FELICIDADE? Uns insistem que nasce dentro do homem. Outros juram que nasce aí fora, pelo mundo. Mas felicidade não é um bem, um objeto que se compra, nem um tesouro que se encontra. Não é matéria, por assim dizer.

Felicidade brota dos momentos. Com a família, com os amigos, com nós mesmos. Vários agoras que se demoram sem ter pressa nenhuma. Leve brisa, tem a duração do instante que passa. É um sentimento simples. Tão sutil e comum que você pode encontrá-la e passar despercebida: num cochilo, num sorriso, sentado em volta de uma mesa, correndo num gramado, deitado no chão. Num domingo preguiçoso, nos pés descalços, num arranjo de flores, enrolada num cobertor. Felicidade não é um destino, mas sim uma forma de viajar.

Leis da matemática e da física não se aplicam à felicidade: ela se multiplica ao ser dividida e pode sim, preencher dois corpos no mesmo espaço ao mesmo tempo. Felicidade não depende do que nos falta, mas do bom uso que fazemos daquilo que temos. Não é ter aquilo que se quer, mas querer aquilo que se tem. Felicidade nos ensina que o "viver bem" não é ter, mas ser. Não é possuir, mas sentir. E que o verdadeiro luxo é ter tempo para estar com aqueles que a gente ama.

Felicidade, acreditem, nasce bem perto da gente, bem debaixo do nosso nariz. Felicidade nasce onde vivemos, onde nos inspiramos, onde sonhamos e onde nos recarregamos. No lugar para onde sempre voltamos, depois de percorrer o mundo todo à sua procura, para encontrá-la à nossa espera. Felicidade nasce dentro de casa.


NOVIDADES E PROMOÇÕES

SELOS